Crítica | Han Solo: Uma História Star Wars (2018): cadê aquele cafajeste raiz que a gente ama?

Desde que foi anunciado, lá nos idos de 2013, o longa “Han Solo: Uma História Star Wars” – que obviamente ainda não possuía este nome – gerou uma grande discussão entre os fãs da saga, já que alguns defendiam a intenção da Disney/Lucasfilm em contar a história do contrabandista cafajeste mais amado do mundo, enquanto outros acreditavam que esta revisita não faria sentido algum de existir. Além disso, entendiam que ela poderia, inclusive, afetar a aura “esperta” que o ator Harrison Ford, ao lado do diretor George Lucas, criaram para o personagem icônico. Vista as atribulações que se sucederam com a produção, com direito à demissão dos diretores originais e contratação de um novo profissional, até que o longa não é o desastre que poderia ser, mas também não chega a agradar.
Ron Howard, diretor dos bons “Rush: No Limite da Emoção” e “Frost/Nixon”, além da não tão boa trilogia baseada nas obras do escritor Dan Brown, assumiu o longa aos quinze minutos do segundo tempo e precisou, sem adiar um dia sequer a data de estreia, dar conta de uma refilmagem de quase oitenta por cento do filme, o que é um mérito e tanto. O que não podemos chamar de Leia a notícia completa

Fechar Menu

Fique por dentro!

Receba nossas novidades direto no seu email!
QUERO RECEBER!
Fechar
Fique por dentro!